Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Inovação é o que vai garantir a sobrevivência das empresas

Inovação é o que vai garantir a sobrevivência das empresas

Inovação é o que vai garantir a sobrevivência das empresas

Pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria aponta que, entre abril e maio, 66% dos dirigentes ouvidos disseram que a capacidade de investimento em tecnologia vai determinar o potencial competitivo de cada um nos próximos anos.

Inovação é o que vai garantir a sobrevivência das empresas – “A biotecnologia é o futuro porque é muito mais amigável e vê o Brasil, por exemplo, como uma incrível fonte de biomassa. Então esse laboratório foi instalado no Brasil e nós temos vários projetos em andamento lá.”

A convicção da presidente da Rhodia na América Latina é a mesma de 44% dos executivos brasileiros, ouvidos em uma pesquisa da CNI divulgada nesta segunda-feira. Em 2019, soluções inovadoras, por exemplo, para consumir menos energia já respondem, na média, por 20% do faturamento das empresas. Poderia ser mais.

Nos Estados Unidos, o preço da energia é um terço do custo praticado no Brasil.

Por isso, Daniela Manique acredita que o orçamento de cada empresa deve ter essa reserva para o futuro. Futuro que não escapa mais da inovação e que pode manter as empresas de pé.

“Não vai sobreviver a empresa que não seguir por esses caminhos. Hoje eu acho que é mandatório ter uma parte do seu orçamento destinada à inovação”, sentencia.

No laboratório, um produto químico criado a partir de pesquisas nem sempre é uma demanda do mercado brasileiro. Em muitos casos, apesar de ser uma plataforma local, a taxa de exportação chega a 80%.

Normalmente, uma encomenda bem detalhada, explica Daniela:

“Dentro dessa necessidade que o cliente apresenta, nós trabalhamos dentro dos laboratórios pra achar a solução mais adequada. (O cliente diz) eu preciso de um solvente que não tenha odor, seja possível de ser utilizado, por exemplo, para fins residenciais, seja um solvente amigável, mas que tenha um bom poder de limpeza pra limpar minha casa.”

No entanto, segundo o levantamento da CNI, apenas 6% dos entrevistados disseram que a indústria brasileira é muito inovadora.

O avanço nem sempre parte de quem já é grande. Em São Paulo, depois de quase três décadas trabalhando em uma montadora, Rogério Junqueira deixou a carreira pra trás e começou outra. 

Leia também:

Entenda o impacto na economia com as Empresas Simples de Crédito

Há três anos, ele fundou a Reciclapac, uma pequena empresa de tecnologia. Com 13 funcionários, criou uma solução de rastreamento por chip para embalagens reutilizáveis, usadas para o transporte de peças automotivas, maquinários e equipamentos médicos.

O controle é pela tela do computador.

“Imagina o seguinte: eu tenho 10 mil embalagens e elas estão fora da minha empresa. Eu não sei quantas eu tenho, eu não estou enxergando. No momento que eu estou enxergando, eu não preciso mais da mesma quantidade de embalagens e posso comprar 30% a menos, por exemplo, porque eu vou estar enxergando. E o que eu enxergo, eu gerencio”, explica Junqueira.

Pouco mais da metade das empresas brasileiras que investem em tecnologia, dizem que colocaram a mão no bolso pra fazer isso. Para Gianna Sagazio, diretora de Inovação da CNI, o reflexo mais evidente do investimento público nos últimos anos.

“(Com) menos disponibilidade de linha de crédito, de subvenção econômica (aplicação de recursos públicos não reembolsáveis diretamente em empresas) para implementar os seus projetos de inovação, (as empresas) passaram a utilizar mais recursos próprios. E também há o que as empresas colocam das dificuldades burocráticas muitas vezes de conseguir recursos com as agências de financiamento e inovação”, analisa Gianna.

No fim de maio, uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União concluiu que, apesar dos investimentos em inovação feitos por agências de fomento do governo, falta planejamento de longo prazo.

Mesmo com a queda na produtividade da economia, o Brasil melhorou, subiu cinco posições e chegou ao lugar de número 64 entre 126 economias. Mas o avanço é relativo. Há menos de dez anos, o país ocupava a posição 47 no índice de inovação global.

Hoje o Brasil investe 1,27% do PIB em pesquisa, de acordo com dados de 2016, o que equivale a 40 bilhões e meio de dólares, 21 bilhões do orçamento público e outros 19 da iniciativa privada.

Fonte

Conheça o calendário de cursos da I9 Treinamentos para o ano de 2019. Novos cursos e professores renomados. Clique na imagem abaixo e fique sabendo muito mais…

outubro 2019

21out(out 21)08:0022(out 22)18:00Emendas Parlamentares outubro de 2019Entenda o processo de captação de recursos através de emendas parlamentares

23out(out 23)08:3025(out 25)16:30Gestão da Comunicação e Mídias Sociais para a Administração PúblicaConheça os novos paradigmas da comunicação e debata os desafios impostos pela velocidade da comunicação no mundo digital.

28out(out 28)08:0029(out 29)17:00Curso prático de elaboração de termos de referência e projetos básicos outubro de 2019Assegure-se que o processo de licitação será econômico e juridicamente eficiente.

30out01novRevisão, Reequilíbrio e Reajuste de Contratos PúblicosConheça a legislação atualizada, a visão do Tribunal de Contas da União (TCU) e Jurisprudências na prática sobre o assunto.

novembro 2019

30out01novRevisão, Reequilíbrio e Reajuste de Contratos PúblicosConheça a legislação atualizada, a visão do Tribunal de Contas da União (TCU) e Jurisprudências na prática sobre o assunto.

06nov(nov 6)08:3008(nov 8)16:30Formação de Gestores e Fiscais de ContratosConheça os procedimentos, técnicas, responsabilidades, controles, ações e relatórios. Sob a perspectiva da nova instrução normativa nº 05/2017-SEGES/MPDG

11nov08:0018:00Simec Introdução ao PAR novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC na fase preparatória

12nov08:0018:00Simec Fase de Diagnóstico do PAR novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Diagnóstico do PAR

13nov08:0018:00Simec Fase de Planejamento e Execução novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Planejamento e Execução

14nov08:0017:00Regularizando a situação no novo CAUCO Cauc mudou… conheça na prática e objetivamente como regularizar e atualizar a inadimplência de sua instituição.

18nov(nov 18)08:0022(nov 22)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Novembro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

25nov(nov 25)08:0026(nov 26)17:00A nova legislação de convênios e contratos de repasse Novembro de 2019Curso Completo com foco na nova legislação de convênios e contratos de repasse

27nov(nov 27)08:3029(nov 29)16:30Formação de Gestores Públicos e Ordenadores de Despesas – Uma visão estratégicaSeja capaz de introduzir em sua Administração o Plano Estratégico por meio de Projetos

dezembro 2019

02dez(dez 2)08:3004(dez 4)16:30Esocial na Administração Pública incluindo os novos layouts dezembro de 2019Curso fundamental para capacitar os profissionais a fim de prestarem corretamente as informações ao eSocial.

05dez(dez 5)08:0006(dez 6)17:00Novo Projeto Básico do Siconv compacto na prática Dezembro de 2019Teoria e prática do novíssimo projeto básico do Sistema de Gestão de Convênios do Governo Federal – Siconv.

09dez(dez 9)08:3011(dez 11)18:00Curso Completo de Contabilidade Pública - Encerramento de exercícioEsteja apto a identificar conceitos e características da contabilidade aplicada ao setor público para o encerramento de exercício.

16dez(dez 16)08:0020(dez 20)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Dezembro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

Calendário de Cursos da I9 Treinamentos para 2019

Cursos em Destaque

Rolar para cima
X