Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Especialistas explicam a origem e as consequências do déficit fiscal

Especialistas explicam a origem e as consequências do déficit fiscal

Especialistas explicam a origem e as consequências do déficit fiscal

Ex-ministro das Finanças do Chile, Andrés Velasco, ex-presidente do Banco Central do Brasil, Gustavo Franco, e diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI), Felipe Salto, criticam aumento de gastos e endividamento público

Especialistas explicam a origem e as consequências do déficit fiscal – Assunto que tem permeado o debate econômico nos últimos anos, o déficit fiscal ocorre quando a arrecadação tributária não dá conta de pagar todo o gasto do setor público. Para contornar esse rombo, o Estado brasileiro, proibido de emitir moeda e praticamente sem condições de elevar ou criar impostos, tem aumentado o seu endividamento. Mas há um preço a pagar por essa política.

Desde 2014, o governo brasileiro gasta mais do que arrecada. De acordo com o ex-ministro das Finanças do Chile e professor da Escola de Relações Internacionais e Políticas Públicas da Universidade Columbia, Andrés Velasco, esse problema se deve ao aumento do gasto público realizado durante o ciclo de alta dos preços de commodities na década passada e a erros de política econômica durante a crise internacional iniciada em 2008.

Leia também:

Como a crise econômica chegou aos municípios brasileiros

“Historicamente, muitos produtores de commodities, inclusive a América Latina, quando há uma alta repentina dos preços, têm uma alta nos gastos e também no crédito. Qual é o problema? Que essas altas em algum momento terminem e os países acabem com muitas dívidas”, explica Velasco.

Segundo ele, quando a crise financeira estourou nos países desenvolvidos, o Brasil acertou ao adotar uma política econômica anticíclica. Contudo, o que devia ser uma ação temporária se prolongou por anos. “Quando a crise começa, você gasta mais; quando a crise termina, você gasta menos. O Brasil continuou gastando, não só em 2009, mas em 2010, 2011, 2012, 2013, e a consequência é muito clara: hoje, o Brasil está em uma bagunça fiscal e isso é ruim para o crescimento, porque requer um grande ajuste fiscal”, salienta.

O ex-presidente do Banco Central e estrategista-chefe da Rio Bravo Investimentos, Gustavo Franco, explica que, por muitos anos, o Estado brasileiro se valeu da inflação por emissão monetária para cobrir o déficit fiscal. “Uma vez que não tem mais a inflação, a solução tem sido o endividamento, que é também tributar um ausente, que são os nossos descendentes que vão pagar essa conta no futuro. É uma espécie de luta de classes intergeracional. Estamos explorando os que nem nasceram ainda”, alerta.

No que diz respeito às contas públicas, Franco diz que a solução envolve discutir o orçamento federal, porque se costuma fingir que não existe limite para os recursos do Estado. Assim, ele aponta que o Brasil precisa reavaliar seus impostos.

“Tudo que é privilégio é imposto. Temos horror a imposto, mas não aos privilégios. Por quê?”, questiona. “Se continuar do jeito que está, o Brasil quebra, e dessa vez não é quebrar contra o estrangeiro por causa da dívida externa. É a incapacidade de o Estado pagar a dívida interna”, frisa.

O diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI), vinculada ao Senado Federal, Felipe Salto, argumenta que, “sem mudanças na Previdência, nos gastos com pessoal e nas despesas obrigatórias do Estado, vai ser muito difícil reequilibrar as contas públicas”.

Segundo Salto, a função das finanças públicas é combinar os instrumentos disponíveis, sobretudo impostos e dívida, para que o Estado providencie políticas públicas que a sociedade deseja. Dessa forma, os recorrentes déficits comprometem a execução de programas governamentais.

“O espírito da responsabilidade fiscal pode ser resumido em uma frase: não podemos gastar mais do que aquilo que temos capacidade de arrecadar”, pontua. “Um Estado probo, eficiente, que cuide bem das finanças públicas necessariamente vai implicar em políticas públicas bem-feitas”, assegura.

Fonte

Conheça o calendário de cursos da I9 Treinamentos para o ano de 2019. Novos cursos e professores renomados. Clique na imagem abaixo e fique sabendo muito mais…

maio 2019

22mai(mai 22)08:3024(mai 24)16:30Legislação e prática sobre o Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDPSaiba efetuar a gestão da solicitação de diárias e passagens os órgãos e entidades da Administração Pública federal direta, autárquica e fundacional.

27mai(mai 27)08:0028(mai 28)17:00Curso prático de elaboração de termos de referência e projetos básicosAssegure-se que o processo de licitação será econômico e juridicamente eficiente.

29mai(mai 29)08:3031(mai 31)16:30Licitação e contratação de obras e serviços de engenhariaQuestões práticas sobre Licitação, Contratação, Gestão e Fiscalização de Obras e serviços de engenharia, incluindo aspectos fundamentais sobre anteprojeto, projeto básico, projeto executivo, orçamento, orientações do SINAPI, CAIXA e TCU.

junho 2019

03jun(jun 3)08:0004(jun 4)18:00Emendas Parlamentares junho de 2019Entenda o processo de captação de recursos através de emendas parlamentares

05jun(jun 5)08:3007(jun 7)16:30Curso de Auditoria, Controle Interno, Governança e Gestão de Riscos no setor públicoTécnicas e rotinas de acordo com as Normas de Auditoria e Gestão de Riscos Aplicáveis ao Setor Público

10jun(jun 10)08:0014(jun 14)17:00Curso Siconv Completo Junho de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento do Siconv e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do Siconv

17jun(jun 17)08:0018(jun 18)17:00Plataforma +Brasil Junho de 2019 Incluindo atualizações do SiconvPlataforma +Brasil Junho de 2019 incluindo atualizações do Siconv

19jun(jun 19)08:0021(jun 21)17:00A nova matriz de saldos contábeis – MSC através do SICONFISaiba tudo sobre o SICONFI e desenvolva todas as suas potencialidades.

24jun(jun 24)08:0025(jun 25)17:00Gestão do Patrimônio Público sob ótica das NBCASPConheça as modernas técnicas de suprimentos e gestão de materiais e principalmente, na área pública o Desfazimento de Bens.

26jun(jun 26)08:3028(jun 28)16:30Orçamento Público integrado com Execução Orçamentária, Financeira e ContábilCompreenda os fundamentos e princípios que norteiam o ciclo orçamentário e seus instrumentos de gestão pública referentes aos recursos públicos.

julho 2019

01jul08:0002(jul 2)17:00Contratação de Serviços Terceirizados em três momentosTudo sobre Contratação de Serviços Terceirizados em três momentos: Planejamento da licitação, seleção de propostas e gerenciamento do contrato.

03jul(jul 3)08:3005(jul 5)16:30Curso de Siconv compactoCurso compacto para aqueles que tem pouco tempo e querem aprender sobre o funcionamento do Siconv e sua correta utilização.

08jul(jul 8)08:0009(jul 9)17:00Marco Regulatório das Organizações da Sociedade CivilPrepare editais de seleção de organizações da sociedade civil que assegurem processos econômicos e juridicamente eficientes.

10jul(jul 10)08:3012(jul 12)16:30Cerimonial, Protocolo e Organização de EventosHabilite-se a executar solenidades com excelência.

15jul(jul 15)08:0019(jul 19)17:00Curso Siconv Completo Julho de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento do Siconv e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do Siconv

24jul08:0018:00Simec Introdução ao PAR julho de 2019compreenda a correta utilização do SIMEC na fase preparatória

25jul08:0018:00Simec Fase de Diagnóstico do PAR julho de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Diagnóstico do PAR

26jul08:0018:00Simec Fase de Planejamento e Execução julho de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Planejamento e Execução

29jul(jul 29)08:3031(jul 31)16:30Tesouro Gerencial AvançadoExecute as funções do sistema Tesouro Gerencial

Calendário de Cursos da I9 Treinamentos para 2019

Cursos em Destaque