Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Custo de emendas pode triplicar

Custo de emendas pode triplicar

Custo de emendas pode triplicar

Custo de emendas pode triplicar – Aprovada na quarta-feira no Congresso Nacional, a proposta de emenda à Constituição do Orçamento impositivo (PEC 34/19), que obriga o governo federal a executar as emendas parlamentares das bancadas estaduais, pode triplicar esta despesa, levando-a para R$ 6,8 bilhões em 2020, quando a regra passa valer. A base de comparação são as últimas execuções conhecidas, de 2018, quando o governo repassou R$ 2,2 bilhões aos Estados via Câmara dos Deputados. Presente na seção de Política Fiscal da última Carta de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica (Ipea), o cálculo leva em consideração as estimativas do Tesouro Nacional para a receita de 2019, à qual estão vinculadas as execuções daquelas emendas.

A parte do texto pronta para ser promulgada determina que as emendas pagas em 2020 tenham um teto equivalente a 0,8% da receita corrente líquida (RCL) do ano anterior. Em 2021, este limite passa para 1% da RCL e, a partir de então, fica indexado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Assim, considerando as previsões de receita primária do governo para 2020, constantes no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), o valor total dessas emendas pode chegar, em 2021, a R$ 8,6 bilhões. Isso significaria um aumento potencial de 290% nesta modalidade de gasto em apenas três anos.

Os pesquisadores do Ipea afirmam que os valores comprometidos com emendas de bancada ainda podem ter generoso acréscimo em função das receitas derivadas do leilão do excedente da cessão onerosa, estimadas em R$ 106 bilhões. Como o leilão está previsto para 28 de outubro deste ano, a entrada do bônus na receita pode elevar o valor anual das emendas em cerca de R$ 850 milhões em 2020.

“Os manuais de orçamento dizem que assim deve ser [que deve se incluir o bônus na RCL]. Então, se isso acontecer, o espaço fiscal ficará ainda mais reduzido”, afirma Paulo Levy, economista do Ipea. O cenário também é considerado em nota técnica lançada ainda no final de março pela Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao próprio Senado.

Leia também:

Governo altera prazo para execução das Emendas de bancada 2019 no Siconv

O Ipea assume, no cálculo, que as emendas vão operar no teto. No ano passado, quando tinham um limite de 0,6% da receita corrente líquida, mas ainda não eram obrigatórias, os R$ 2,2 bilhões dispensados representaram apenas 0,3% da RCL. Custo de emendas pode triplicar

As estimativas da IFI são mais conservadoras: a mudança teria um impacto de R$ 7,3 bilhões no orçamento entre 2020 e 2022. Os técnicos lembram que esse tipo de emenda pode perder o caráter impositivo se não superar “impedimentos técnicos” dentro do exercício em que foi criada e ainda está submetida à possibilidade de contingenciamento na mesma proporção das despesas discricionárias. Felipe Salto, diretor-executivo do IFI, diz que muitas emendas não vão adiante porque ocorre um “empoçamento” quando não são executadas mesmo tendo sido liberadas pelos ministérios. A IFI reconhece que a mudança aumenta o risco de descumprimento do teto de gastos ou de paralisação da máquina pública em 2020.

A Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara desmente, em nota, o peso da medida no acirramento da crise fiscal, mas admite que a nova regra leva a uma substituição dos valores “dos demais itens da margem discricionária do governo”, ou seja, gastos com saúde, educação, Bolsa Família e benefícios a servidores públicos. Levy, do Ipea, adverte: “Quando você introduz mais um indexador e o vincula à receita dos próximos dois anos, se ela aumentar, essa despesa sobe junto. O problema é que o teto de gastos permanece o mesmo e, então, outros gastos discricionários [não determinados por lei] são pressionados diretamente.” Ele se refere às chamadas despesas discricionárias “propriamente ditas”, aquelas que não têm mínimo obrigatório e são alocadas em saúde e em educação.

Primeiras a serem cortadas em caso de contingenciamento, estas despesas já foram encolhidas em 19% ou R$ 4,3 bilhões no primeiro trimestre deste ano ante igual período do ano passado, segundo o Ipea. Como as emendas de bancada são tradicionalmente aplicadas em obras dos Estados e municípios, há, na prática, uma transferência de finalidade,como sugere a consultoria da Câmara dos Deputados.

“Há uma discussão política por trás da medida, mas, do ponto de vista fiscal, é prejudicial porque existe um grupo de despesas [discricionárias] que sofrem todo o peso do ajuste e fica ainda mais comprometido”, afirma Levy, em referência ao argumento dos parlamentares de que a mudança encerra o jogo de “toma lá, dá cá” de anos entre o Executivo federal e o Legislativo. Esta é a segunda vez que emendas são vinculadas obrigatoriamente às receitas. Conforme promulgado em 2015, as emendas individuais operam a 1,2% da RCL, mas a metade desse valor é obrigatoriamente alocado em saúde.

Fonte

Conheça o calendário de cursos da I9 Treinamentos para o ano de 2019. Novos cursos e professores renomados. Clique na imagem abaixo e fique sabendo muito mais…

setembro 2019

09set(set 9)08:0010(set 10)17:00Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil – Setembro de 2019Prepare editais de seleção de organizações da sociedade civil que assegurem processos econômicos e juridicamente eficientes.

11set(set 11)08:3013(set 13)16:30Desenvolvimento e Capacitação pra Pregoeiros e Equipe de ApoioSeja capaz de realizar pregões presenciais e eletrônicos na prática.

16set(set 16)08:0020(set 20)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Setembro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

23set(set 23)08:0024(set 24)17:00A nova legislação de convênios e contratos de repasse setembro de 2019Curso Completo com foco na nova legislação de convênios e contratos de repasse

25set(set 25)08:3027(set 27)16:30Gestão de Frota VeículosConhecça uma visão diferenciada das atividades de Operação, Manutenção e Planejamento e Controle de Frota de Veículos.

30set08:0018:00Tudo sobre o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde - SIOPS - Setembro de 2019O programa aqui exposto visa trazer conceitos ligados ao SIOPS e todas as recentes alterações promovidas no sistema

outubro 2019

01out08:0018:00Gerenciamento do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação – SIOPE – Outubro de 2019Administrando corretamente os recursos da Educação através do SIOPE e do SIGARP

02out(out 2)08:3004(out 4)16:30Folha de Pagamento do Funcionalismo PúblicoSaiba elaborar a folha de pagamento de servidores públicos corretamente.

07out(out 7)08:0011(out 11)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Outubro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

14out(out 14)08:0018(out 18)17:00SIAFI Week Avançado Outubro 2019Aprofunde os conhecimentos para atuar na área de execução orçamentária, financeira e contábil através do SIAFI

21out(out 21)08:0022(out 22)18:00Emendas Parlamentares outubro de 2019Entenda o processo de captação de recursos através de emendas parlamentares

23out(out 23)08:3025(out 25)16:30Gestão da Comunicação e Mídias Sociais para a Administração PúblicaConheça os novos paradigmas da comunicação e debata os desafios impostos pela velocidade da comunicação no mundo digital.

28out(out 28)08:0029(out 29)17:00Curso prático de elaboração de termos de referência e projetos básicos outubro de 2019Assegure-se que o processo de licitação será econômico e juridicamente eficiente.

30out01novRevisão, Reequilíbrio e Reajuste de Contratos PúblicosConheça a legislação atualizada, a visão do Tribunal de Contas da União (TCU) e Jurisprudências na prática sobre o assunto.

novembro 2019

30out01novRevisão, Reequilíbrio e Reajuste de Contratos PúblicosConheça a legislação atualizada, a visão do Tribunal de Contas da União (TCU) e Jurisprudências na prática sobre o assunto.

06nov(nov 6)08:3008(nov 8)16:30Formação de Gestores e Fiscais de ContratosConheça os procedimentos, técnicas, responsabilidades, controles, ações e relatórios. Sob a perspectiva da nova instrução normativa nº 05/2017-SEGES/MPDG

11nov08:0018:00Simec Introdução ao PAR novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC na fase preparatória

12nov08:0018:00Simec Fase de Diagnóstico do PAR novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Diagnóstico do PAR

13nov08:0018:00Simec Fase de Planejamento e Execução novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Planejamento e Execução

14nov08:0017:00Regularizando a situação no novo CAUCO Cauc mudou… conheça na prática e objetivamente como regularizar e atualizar a inadimplência de sua instituição.

18nov(nov 18)08:0022(nov 22)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Novembro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

25nov(nov 25)08:0026(nov 26)17:00A nova legislação de convênios e contratos de repasse Novembro de 2019Curso Completo com foco na nova legislação de convênios e contratos de repasse

27nov(nov 27)08:3029(nov 29)16:30Formação de Gestores Públicos e Ordenadores de Despesas – Uma visão estratégicaSeja capaz de introduzir em sua Administração o Plano Estratégico por meio de Projetos

Calendário de Cursos da I9 Treinamentos para 2019

Rolar para cima
X