Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
CBIC promove debate sobre obras públicas paralisadas

CBIC promove debate sobre obras públicas paralisadas

CBIC promove debate sobre obras públicas paralisadas

CBIC promove debate sobre obras públicas paralisadas – Nesta quarta, 10, foi apresentado o resultado da Pesquisa Nacional sobre as Obras Paralisadas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), durante o Seminário “Paralisação e retomada de obras de infraestrutura no Brasil”. O evento foi realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com o apoio da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), em Brasília/DF.

De acordo com a pesquisa, o valor total das obras paralisadas foi estimado em R$ 76,7 bilhões. A situação é flagrante em obras do setor público, muitas iniciadas e interrompidas, outras atrasadas e as que nem foram iniciadas. “São cercas de 1300 razões que explicam a paralisia das obras”, destacou Marcos Kahtalian, sócio-diretor da Bureau de Inteligência Corporativa (BRAIN), empresa responsável pela pesquisa. Entre as razões apresentadas pela pesquisa estão as de engenharia, operacional e licitação, nessa ordem. Os impasses estão relacionados a reprogramação, documentação, boletim de medição, quando se trata de engenharia e de licitações não iniciadas ou não apresentadas, por exemplo.

As obras paralisadas concentram-se na região Nordeste (39,8%), seguida do Sudeste (24,3%), Norte (12,4%), Sul (12,1%) e Centro-oeste (11,4%). Porém, ao se tratar de valores de investimentos a região Sudeste lidera a lista com (35,2%), Nordeste (23,3%), Centro-oeste (20,9%), Norte (10,7%) e Sul (9,9%).

De acordo com Kahtalian, a retomada dessas obras é uma oportunidade para movimentar a economia local, gerando empregos. “ É necessário retomar as obras e recuperar 1 milhão de empregos perdidos”, afirmou.
Para o presidente da CBIC, José Carlos Martins, “a situação precisa ser tratada com ideias criativas para colocar esse patrimônio público à disposição da sociedade e da economia do país”. “O problema não é finalizar, mas manter. Existem 2 mil Unidades Básicas de Saúde prontas, mas que estão fechadas”, destacou.

“Os municípios recebem recursos sem ter condições de gerir e isso também gera paralisação de obras”, argumentou o coordenador-geral de controle externo de Infraestrutura do TCU, Nicola Khoury. Para ele é necessário garantir que o ente possua condições orçamentárias para arcar com as despesas e citou o artigo 78 da LDO de 2019 (Lei nº 13707/2018) que faz essa previsão.

Representado o governo federal, participou o secretário especial da secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos. De acordo com ele, a secretaria tem fornecido apoio federal em quatro eixos: iluminação pública, resíduos sólidos, mobilidade urbana e saneamento básico. Além disso, é responsável por prestar assistência técnica e financeira para os municípios. “Atualmente temos 46 projetos em andamento e no final de abril, na reunião do Conselho, serão incluídas obras paralisadas e apoio para os entes. É necessário manter e fortalecer a governança das ações para a infraestrutura nacional”, pontuou.

Leia também:

https://www.i9treinamentos.com/a-paralisia-do-setor-publico-nao-e-culpa-dos-orgaos-de-controle/

A situação das obras suspensas ou embargadas judicialmente foi apresentada pelo representante do Conselho Nacional de Justiça, juiz auxiliar Richard Pae Kim. “Será realizado um diagnóstico e soluções serão apresentadas por um Comitê interesetorial”. De acordo com Kim, o objetivo desse levantamento é estabelecer estratégias para buscar soluções e formas alternativas de solução, por meio de conciliação ou mediação, sob a orientação dos Tribunais de Controle para que as obras sejam finalizadas e que a população receba os serviços públicos.

A vice-presidente interina de governo da Caixa Econômica Federal, Tatiana Thomé de Oliveira, outro ator importante nesse cenário, apresentou um panorama das obras financiadas pelo banco que se encontram paralisadas. Para ela a análise do banco é de que há um controle excessivo que precisa mudar. “Temos 187 marcos regulatórios, número excessivo que dificulta o cumprimento pelos municípios, principalmente os menores. Em 1996 eram apenas 11.”

De 37,6 mil empreendimentos com recursos do Orçamento Geral da União (OGU) – no total de R$ 76,81 bilhões -, 6,4 mil estão parados, o que equivale a 17%. As principais justificativas são rescisão ou abandono. Já os investimentos em obras financiadas com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), somam R$ 66,98 bilhões. São 427 operações (21%) paradas, principalmente na área de infraestrutura, de um total de 2.035. 
No dia 15 de abril uma equipe do banco irá até Porto Velho/RO fazer um levantamento das obras paralisadas e buscar soluções pontuais. “Porto Velho poderá ser modelo para outros municípios”

Comissão geral
O senador Carlos Eduardo Torres Gomes (MDB), titular da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal, também participou do seminário e propôs a realização de uma comissão geral no Congresso Nacional para discutir o tema. “Existe um congresso novo de tudo, o mais importante neste momento é a comunicação e o que posso fazer é chamar uma Comissão Geral para conhecimento da situação real das obras inacabadas no país”.

Fonte

Conheça a relação de cursos online e ao vivo da I9 Treinamentos para o ano de 2019. Novos cursos e professores renomados. Clique na imagem abaixo e fique sabendo muito mais…

Conheça cursos presenciais I9 Treinamentos 2019

setembro 2019

09set(set 9)08:0010(set 10)17:00Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil – Setembro de 2019Prepare editais de seleção de organizações da sociedade civil que assegurem processos econômicos e juridicamente eficientes.

11set(set 11)08:3013(set 13)16:30Desenvolvimento e Capacitação pra Pregoeiros e Equipe de ApoioSeja capaz de realizar pregões presenciais e eletrônicos na prática.

16set(set 16)08:0020(set 20)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Setembro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

23set(set 23)08:0024(set 24)17:00A nova legislação de convênios e contratos de repasse setembro de 2019Curso Completo com foco na nova legislação de convênios e contratos de repasse

25set(set 25)08:3027(set 27)16:30Gestão de Frota VeículosConhecça uma visão diferenciada das atividades de Operação, Manutenção e Planejamento e Controle de Frota de Veículos.

30set08:0018:00Tudo sobre o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde - SIOPS - Setembro de 2019O programa aqui exposto visa trazer conceitos ligados ao SIOPS e todas as recentes alterações promovidas no sistema

outubro 2019

01out08:0018:00Gerenciamento do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação – SIOPE – Outubro de 2019Administrando corretamente os recursos da Educação através do SIOPE e do SIGARP

02out(out 2)08:3004(out 4)16:30Folha de Pagamento do Funcionalismo PúblicoSaiba elaborar a folha de pagamento de servidores públicos corretamente.

07out(out 7)08:0011(out 11)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Outubro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

14out(out 14)08:0018(out 18)17:00SIAFI Week Avançado Outubro 2019Aprofunde os conhecimentos para atuar na área de execução orçamentária, financeira e contábil através do SIAFI

21out(out 21)08:0022(out 22)18:00Emendas Parlamentares outubro de 2019Entenda o processo de captação de recursos através de emendas parlamentares

23out(out 23)08:3025(out 25)16:30Gestão da Comunicação e Mídias Sociais para a Administração PúblicaConheça os novos paradigmas da comunicação e debata os desafios impostos pela velocidade da comunicação no mundo digital.

28out(out 28)08:0029(out 29)17:00Curso prático de elaboração de termos de referência e projetos básicos outubro de 2019Assegure-se que o processo de licitação será econômico e juridicamente eficiente.

30out01novRevisão, Reequilíbrio e Reajuste de Contratos PúblicosConheça a legislação atualizada, a visão do Tribunal de Contas da União (TCU) e Jurisprudências na prática sobre o assunto.

novembro 2019

30out01novRevisão, Reequilíbrio e Reajuste de Contratos PúblicosConheça a legislação atualizada, a visão do Tribunal de Contas da União (TCU) e Jurisprudências na prática sobre o assunto.

06nov(nov 6)08:3008(nov 8)16:30Formação de Gestores e Fiscais de ContratosConheça os procedimentos, técnicas, responsabilidades, controles, ações e relatórios. Sob a perspectiva da nova instrução normativa nº 05/2017-SEGES/MPDG

11nov08:0018:00Simec Introdução ao PAR novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC na fase preparatória

12nov08:0018:00Simec Fase de Diagnóstico do PAR novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Diagnóstico do PAR

13nov08:0018:00Simec Fase de Planejamento e Execução novembro de 2019Compreenda a correta utilização do SIMEC de Planejamento e Execução

14nov08:0017:00Regularizando a situação no novo CAUCO Cauc mudou… conheça na prática e objetivamente como regularizar e atualizar a inadimplência de sua instituição.

18nov(nov 18)08:0022(nov 22)17:00Curso Plataforma +Brasil Completo Novembro de 2019Saiba tudo sobre o funcionamento da Plataforma +Brasil e sua correta utilização. Curso com todas as atualizações do módulo de transferências Voluntárias - Siconv

25nov(nov 25)08:0026(nov 26)17:00A nova legislação de convênios e contratos de repasse Novembro de 2019Curso Completo com foco na nova legislação de convênios e contratos de repasse

27nov(nov 27)08:3029(nov 29)16:30Formação de Gestores Públicos e Ordenadores de Despesas – Uma visão estratégicaSeja capaz de introduzir em sua Administração o Plano Estratégico por meio de Projetos

Rolar para cima
X